terça-feira, 3 de maio de 2011

Gostaria de ter escrito isso.

Bin Laden perdeu. E ninguém ganhou

Do Blog do Noblat
Deixe-me ver se entendi bem.
O mundo festeja a morte de um bárbaro terrorista assassino que foi assassinado no Paquistão por uma tropa militar de elite das forças especiais dos Estados Unidos.
Escondido em uma mansão onde não havia telefone nem internet, desarmado como admitiu a Casa Branca, o cérebro do atentado do 11 de setembro, onde morreram 2.700 pessoas, já não comandava mais sua organização.
Valia-se de um emissário para transmitir recados. A identidade do emissário foi descoberta mediante a tortura de um dos presos mantidos na base militar americana de Guantánamo, em Cuba.
E foi o monitoramento do emissário que permitiu a localização do esconderijo de Bin Laden.
A tropa que invadiu o esconderijo recebeu a ordem de matá-lo. E de em seguida jogar seu corpo no mar.
O governo paquistanês não foi consultado sobre a invasão do seu território por tropa de outro país. Só depois ficou sabendo.
Em resumo: celebra-se a tortura (crime), o assassinato de um terrorista inativo (crime) e a operação militar bem-sucedida que implicou na violação da soberania de um país (crime também).
É o mesmo que afirmar: em certos casos (e não serão poucos), a tortura se justifica. O assassinato se justifica. A invasão pontual de outro país se justifica.
Repelimos a violência quando ela nos atinge. Aceitamos a violência contra quem detestamos.
Dancemos nas ruas! 
Às favas os escrúpulos, os fundamentos do modelo ocidental de democracia e os valores básicos e consensuais de todas as religiões.
Um ex-operador da CIA, a agência americana de espionagem, disse hoje no The New York Times que a manifestação de júbilo dos seus concidadãos com a morte de Bin Laden avaliza os métodos usados pela CIA em defesa dos interesses do país.
Um general brasileiro aposentado, que na época da ditadura de 64 tolerou ou estimulou a tortura e a morte de opositores do regime, seria capaz de dizer algo parecido.
O mundo não se tornará menos ou mais seguro com a morte de Bin Laden. A essa altura, a importância dele era apenas simbólica.
Com sua morte não se fez justiça como proclamou o presidente Barack Obama.
(Na aparência, pelo menos, George Bush Jr. fez ao capturar, julgar e enforcar o ex-ditador do Iraque, Saddam Hussein.)
Em sociedades ditas civilizadas, justiça se faz de outra maneira.
Consagra-se a doutrina israelense que justifica o assassinato seletivo de inimigos do Estado.
Foi um ato de vingança. Que Bin Laden fez por merecer.
Mas nós não merecíamos que por causa dele fossem rasgados os tratados internacionais que tipificam como crimes a tortura, o assassinato e a violação de territórios por tropas estrangeiras.
Bin Laden perdeu. E ninguém ganhou.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Empresas de Eike Batista derretem na bolsa.

Do site Brasil 247:
Nos últimos cinco anos, Eike Batista conseguiu uma façanha. Construiu uma fortuna de quase US$ 30 bilhões, a oitava maior do mundo, vendendo empresas de papel, que são ainda meros projetos futuros. Abrigadas na holding EBX, todas as suas empresas carregam a letra x – símbolo da multiplicação – no nome. Entre elas, estão a mineradora MMX, a geradora de energia MPX, o estaleiro OSX e a petrolífera OGX. Esta última é a joia da coroa de Eike. Mas o mercado financeiro, que até hoje comprou tudo aquilo que Eike vendeu com entusiasmo quase cego, passou a cobrar resultados. Na manhã desta segunda-feira, as ações da OGX abriram com queda de quase 20% - às 13h, eram negociadas com baixa de 14%. O balanço desagradou os investidores. E o que é mais grave: analistas desconfiam que as reservas de petróleo anunciadas pela companhia estão infladas, no que seria uma fraude aos investidores.

Eike Batista participou de uma teleconferência, na qual tentou acalmar o mercado, mas acabou batendo boca com analistas. E o curioso é que, na sexta-feira, ele havia feito um anúncio de reservas bem animador: a projeção da OGX de 6,8 bilhões para 10,8 bilhões de barris – um volume muito próximo ao da Petrobras. É como se a OGX tivesse encontrado seu pré-sal particular. Mas o mercado começou a desconfiar de tantas promessas. Segundo operadores, relatórios de bancos de investimentos e corretoras divulgados para esta semana recomendaram a venda dos papéis da OGX. Uma crise de confiança nas promessas do empresário Eike Batista sobre a viabilidade da empresa. 

O noticiário recente reforçou a insegurança do mercado na companhia.Eike está apostando na venda de ativos de até 10% de sua participação nas áreas da bacia de Campos como forma de se capitalizar para cumprir investimentos. Inicialmente, a empresa estava negociando a venda de 30% destes ativos, mas reduziu esta marca para 10%. Além disso, o presidente da companhia, Paulo Mendonça, afirmou que poderá buscar no mercado US$ 2 bilhões para garantir os investimentos em 2012 e que a forma de captar os recursos será a mesma utilizada pela Petrobras, como a emissão de títulos. Paulo Mendonça é o substituto de Rodolfo Landim, executivo egresso da Petrobras, que brigou com Eike e mantém uma disputa bilionária na Justiça com o dono do grupo EBX.

Previsão do Tempo

Amanhã (20/04), a chuva forte localizada deverá se concentrar no RS, grande parte de SC (exceto o extremo nordeste), sudoeste do PR, AC, norte de RO, AM, sul de RR, extremo norte de MT, PA, AP, centro-norte do TO, MA, oeste e centro-norte do PI, centro-norte do CE, RN, centro-leste da PB e do PE, AL e SE.
Na quinta-feira (21/04), a chuva forte deverá se concentrar no oeste e centro-norte do RS, em SC, sul e leste do PR, AC, oeste e norte de RO, AM, sul de RR, centro-sul do AP, PA, norte do TO, grande parte do MA (exceto o extremo sul), norte do PI, CE, RN, PB, centro-leste de PE e AL.
A precisão da localização e intensidade da chuva forte prevista neste aviso, dependerá da utilização de radares meteorológicos. Neste caso, o GPT recomenda entrar em contato com os diferentes centros de previsão de tempo correspondentes aos Núcleos estaduais.
O Grupo da Previsão de Tempo (GPT) recomenda à população residente em áreas de risco, como em encostas e regiões próximas a rios e córregos, sujeitas a deslizamento de terras e alagamentos, entrar em contato com a Defesa Civil a fim de averiguar a vulnerabilidade e os riscos de cada região.
Em situações de risco consulte a Defesa Civil.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

É campeão!!!!!

Apenas 9 das 27 unidades da Federação conseguiram atingir, até 27 de dezembro, a meta de construção de moradias do Programa Minha Casa, Minha Vida. A situação mais grave foi verificada no Amapá, Ceará e Distrito Federal, que contrataram apenas 40% do que estava previsto.
O pior resultado do programa foi verificado no Amapá. Do total de 4.590 moradias previstas, foram contratadas 1.645 unidades (35,8%). O balanço da Caixa, obtido pelo Estado, mostra que o segundo pior desempenho foi o do Ceará (37,6%), seguido pelo Distrito Federal (41,3%). Até 27 de dezembro, o País havia contratado 937.250 mil unidades. Dois dias depois, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou o cumprimento de 1 milhão de moradias contratadas.
Além disso, o principal programa habitacional do governo tem sido alvo de venda irregular de imóveis e calote, conforme revelou o Estado no mês passado.
O Minha Casa, Minha Vida foi lançado por Lula em março de 2009 para atender famílias com renda de até R$ 4.650. O compromisso era contratar 1 milhão de casas até o fim de 2010. Na campanha eleitoral, a presidente Dilma Rousseff prometeu construir 2 milhões de unidades habitacionais em quatro anos.
Preços. Uma das justificativas para a baixa execução nesses Estados, segundo a Caixa, é "a questão da falta de terrenos com infraestrutura adequada em preços compatíveis" com os critérios do programa. No Amapá e Distrito Federal, houve outro fator: os escândalos políticos por conta de desvio de recursos. Para completar, falta interesse dos empresários em construir nesse Estado da Região Norte. O Estado de São Paulo
( As áreas de ressaca agradecem. Próxima....)

Enquanto isso: Lata d'água na cabeça....

O Amapá pode ser o primeiro Estado a perder os recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para saneamento básico por, simplesmente, não conseguir gastar o dinheiro. Na primeira etapa do programa, o Amapá tinha à disposição R$ 130 milhões para investir, mas em quatro anos foram executados menos de 10% dos recursos. Enquanto isso, apenas 48% da população do Estado tem acesso à água tratada, e 2,5% tem rede de esgoto.
De 2007 a 2010, o Amapá enfrentou dificuldades para conseguir licenças ambientais e para concluir projetos executivos fundamentais para que as empresas contratadas pudessem iniciar ou dar sequência às obras. No ano passado, a situação piorou com a Operação Mãos Limpas, da Polícia Federal, que identificou um suposto esquema de desvio de verbas no Estado.
A partir daí, as obras foram interrompidas de vez. "Foram três anos sem executar nada", afirmou um técnico do Ministério das Cidades descrente em uma mudança drástica do cenário. O governo pode remanejar 30% dos recursos do PAC, conforme prevê o Orçamento deste ano. Esse quesito abre espaço para que dinheiro seja transferido de uma obra parada para outra que está em pleno vapor.
O novo governador, Camilo Capiberibe (PSB), assumiu o cargo este ano e tenta negociar com a União mais prazo para o uso do dinheiro. Mas não está fácil. O governo federal teme dar uma nova chance e as obras continuarem no papel devido às dificuldades para conseguir licenças e projetos. Outro problema, que pode implicar aumento de preços, é o fato de algumas licitações não terem interessados, as chamadas "licitações desertas". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Macapá 253 anos, respeitem os seus cabelos brancos.

Que essa data sirva para lembrarem que nossa cidade merece respeito. TODOS devemos nos importar com ela, protegendo, mantendo limpa e, acima de tudo, denunciando os maus educados que insistem em viver como porcos em ruas sujas e cheias de matos.
Não podemos esperar que somente a prefeitura limpe a cidade. Se cada um limpar a frente de sua casa, seu ponto comercial, sua biboca, etc, a cidade vai ficar mais agradável e limpa. O problema é que tem gente que deixa o mato cobrir a frente de sua casa e usa somente um "caminhozinho" pra entrar. Tem gente que abre o vidro do carro e joga o lixo pela janela. Tem gente que pega a tralha do fundo do seu quintal e joga na porta. Tem gente que constrói ou faz reforma e deixa o entulho na calçada. Tem gente que não respeita o código de postura do município e faz a calçada parece um tobogã. Enfim, vamos respeitar Macapá.

Meus amores.


João Pedro e Gabriel, meus filhos amados, na festa de 11 anos de João Pedro em 21/01/2011.